Cahiers du Cinema – Hobbit: An Unexpected Journey

Olá meninas, 3 posts num dia :p
Decidi criar esta rubrica para falar dos filmes que vou vendo. Estive muito reticente em fazer isto, mas não concordo nada sobre o que se diz pela blogoesfera em relação a certos filmes que decidi dar também a minha opinião. 
Gosto de ver cinema mas não qualquer tipo de cinema, gosto de ver bons filmes.

Decidi começar esta rubrica com o filme mais recente que vi: The Hobbit: An Unexpected Journey.

“A younger and more reluctant Hobbit, Bilbo Baggins, sets out on a
“unexpected journey” to the Lonely Mountain with a spirited group of
Dwarves to reclaim a their stolen mountain home from a dragon named
Smaug”
Não vou perder tempo a contar a história, pus a tagline do filme em cima (desculpem estar em Inglês mas não tive tempo de traduzir). 
Este não é de todo um filme que eu fosse deliberadamente ao cinema para ver. Gosto de filmes que representem o real, não gosto muito de ver filmes fantásticos, mas como estou a estudar Cultura Medieval e o Tolkien é um escritor de referência nesta área lá fui eu ver o Hobbit. 
Aspectos positivos:
* Em termos técnicos este filme é espectacular! Fui ver a versão de 48 frames por segundo, no inicio estranha-se depois entranha-se. 
* A pós-produção do filme está muito bem feita. Normalmente consigo detectar as cenas que foram feitas a computador e coladas em cenários reais, neste tive alguma dificuldade.
* A direcção de arte e a fotografia.
* A banda sonora
* O Gollum – na primeira triologia este personagem tinha sido criado em computador, neste filme foi criado usando uma tecnologia groundbreaking – performance capture – que foi aperfeiçoada depois do Avatar e especialmente para este filme. O gollum aparece mais novo (esta triologia acontece 60 anos antes da outra) e para mim é o ponto mais alto do filme.
Aspectos negativos:
* Este filme é um drama e obedece a uma formula narrativa clássica, já bem conhecida de todos nós em todos os filmes de heróis. Muito resumidamente: O herói é abordado por um personagem, que acabará por ser o seu mentor, para ir numa aventura, primeiro recusa depois tem uma chamada de consciência e decide ir. Tudo começa bem, depois as coisas ficam mal mas no fim tudo acaba por ficar bem. – Não me cativou muito
* Os personagens passam a maior parte do filme a correr, espero que o Peter Jackon tenha pedido desculpa ao Tom Cruise por não o ter chamado para este filme :p 
*  A personagem do Gandalf, não sei o que se passa com a voz dele, tem um tom monocórdico que me irritou um bocado, é certo e sabido que o som destes filmes é normalmente dobrado em ADR e adicionado posteriormente, mas é suposto ser natural. Neste caso a voz do Gandalf é robótica de mais para o meu gosto. 
Também não sei que raio de feiticeiro é que ele é, anda sempre a passear (e a correr) com o chapéu e com o pau de um lado para o outro e não faz mais nada o filme todo. 
No geral não gostei muito deste filme e houve apenas 1 cena que me cativou bastanta: O confronto entre o Gollum e o Bilbo. E aqui temos o mote do filme “The Lord of the Rings”. Como sabem a triologia do Hobbit é uma prequela á triologia do The Lord of the Rings e acho que eles dão inicio ao fio condutor muito bem. 
Como já tinha dito este não é o meu género cinematográfico preferido mas consigo reconhecer a grandeza deste filme e a cotação de 8.6 no IMDB. 
Alguma das meninas já viu este filme? O que acharam? O que acham desta nova rúbrica de cinema?? Acham que vale a pena continuar? 
 xoxo
Nexinha
Advertisements
Follow:
I sometimes (not always) use affiliate links. If you are happy to click on the link and support this blog in that way, thank you very much. If you would prefer not to, just google the brand and the item.

4 Comments

  1. December 21, 2012 / 23:14

    Já ouvi maravilhas desse filme! Mas não tenho muita vontade de o ver porque não gostei do Senhor dos Anéis (devo ser a única O.o() O filme está muita bem bem feito a nivel de efeitos especiais e o Gollum estava simplesmente brutal, normalmente dou uma vista de olhos nesses filmes só para ver a parte técnica e os efeitos. Mas não achei muita piada à história do filme do Senhor dos Aneis.

    Vou ver só mesmo para matar a curiosidade.

    • December 22, 2012 / 00:01

      Tambem nao gostei particularmente to " The lord of the rings", para mim o filme so vale mesmo pela mitologia medieval. Tal como este..
      Nao gosto muito de filmes com efeitos especiais mas gosto de andar informada sobre o que se anda a fazer 🙂

      Beijinhos

  2. Anonymous
    December 20, 2012 / 20:30

    o gollum no senhor dos anéis ja foi criado com essa tecnologia… vi um documentário sobre isso…

    • December 20, 2012 / 20:57

      No senhor dos aneis o Gollum foi criado com Motion Capture enquanto que o Gollum no Hobbit foi criado com Performance capture, com uma técnologia mais aperfeiçoada que permitiu ao actor estar a trabalhar no set e filamr directamente com os outros actores – Live action – em vez de gravar as cenas num estudio á parte e estas serem adicionadas posteriormente ao filme.
      Na primeira triologia o Gollum foi obtido através de pós-produção nesta a camera filmava o actor com o fato de motion capture e no ecrã já saia o Gollum, aniquilando assim a necessidade de pós-produção nesta personagem.

      Atenciosamente

Leave a Reply